segunda-feira, junho 05, 2006

Lenda de Seteais

Seteais é um dos mais belos recantos da serra de Sintra.
Conta a lenda que quando Sintra ainda pertencia aos mouros, um dos primeiros cavaleiros cristãos a subir a serra de Xentra (como os mouros chamavam a Sintra) foi D. Mendo de Paiva. No meio da confusão da debandada de uns e chegada de outros, encontrou-se junto a uma pequena porta secreta por onde fugiram vários mouros da fortaleza. Entre eles viu uma moura muito bonita, acompanhada pela velha aia.
Ao dar com os olhos no cristão, a moura suspirou por se sentir descoberta, e a velha, que ainda não reparara no cavaleiro, apressou-se a pedir-lhe que não suspirasse. Porém, reparando no olhar da ama, fixo num ponto determinado, seguiu-o e viu finalmente o inimigo, que sorridente lhe disse:

- Acaba o que ias dizendo!

Mas a velha, de sobrolho carregado, respondeu-lhe:

- O que tenho para dizer não serve para ouvires, cáfir! Os cristãos já têm tudo quanto queriam:
os nossos bens, as nossas terras, o castelo. Vai-te! Vai-te e deixa-nos em paz, conforme o combinado.

- Vai-te tu, velha! A rapariga é minha prisioneira!

A moura, ao ouvir tal coisa, suspirou novamente, de medo e comoção. A velha, ao ouvir aquele novo ai, achou que era melhor confessar o seu segredo ao cristão:

- Não digas mais nada, cristão! Não digas mais nada, que a minha ama carrega desde o berço uma terrível maldição!...

- Como assim velha?!- perguntou o cavaleiro, ao mesmo tempo que a moura dava o terceiro suspiro.

- Ah, cavaleiro! À nascença a minha ama foi amaldiçoada por uma feiticeira que odiava a sua mãe por lhe ter roubado o homem que amava. Fadou-a a morrer no dia em que desse sete ais... e como vês, já deu três!

D. Mendo deu uma alegre gargalhada, e a jovem outro ai.

- Não acredito nessas coisas, velha! Olha, a partir de agora ambas ficarão à minha guarda. Eu quero para mim a tua bela ama!

A moura suspirou de novo e a velha, numa aflição sem limites, gritou:

- Ouviste, cavaleiro, ouviste?! É o quinto ai! Que Alá lhe possa valer!

- Não tenhas medo! Espera aqui um pouco... Voltarei para vos levar a um sítio sossegado!

O cristão afastou-se rapidamente e, assim que desapareceu dentro das muralhas, um grupo de mouros que ouvira a conversa surgiu subitamente para roubar as duas mulheres. Com um golpe de adaga cortaram a cabeça à velha, que nem teve tempo de dar um ai. A jovem é que, ao ver a sua velha aia morrer daquele modo inesperado e cruel, soltou um novo e dolorido ai. Era o sexto, e o sétimo foi a última coisa que disse, no momento em que viu a adaga voltear para lhe cair sobre o pescoço.
Quando pouco depois D. Mendo voltou com uma escolta, ficou tristemente espantado: afinal cumprira-se a maldição!
D. Mendo jurou vingança e a partir desse dia tornou-se o cristão mais desapiedado que os mouros jamais encontraram no seu caminho.
E, em memória da moura que desejara e uma maldição matara, chamou, àquele recanto de Sintra, Seteais.
Ainda hoje, nos belos jardins de Seteais há um sítio onde se alguém disser um "ai" ouvirá um eco que o repetirá seis vezes, ouvindo-se assim sete ais em honra da mouro que um dia lá morreu.

O palácio de Seteais na década de 30 :














Actualmente:

















Um belo sítio para visitar, sem dúvida ;) , aproveitanto para gritar " ai " , a ver se funciona..

7 comentários:

  1. olá eu sou de Sintra e adorei o blog...muitos parabéns! e esta historia traz-me muitas recordações...

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  3. Caro Anónimo de 11 de Outubro de 2009,


    é sempre bom recebermos feedbacks como o seu.

    Em breve as postagens irão ser mais frequentes, e existirão novas funcionalidades do blog, mais interactivas com os seus leitores.


    Roskalnikov

    ResponderEliminar
  4. Olá Rui

    Como vivo em Mira-Sintra, e amo tudo o que á bela Sintra diz respeito, tomei a liberdade de "levar comigo" esta lenda e publiquei-a no meu blogue:

    http://olhaioliriodocampo.blogspot.com/

    Se não concordar...por favor avise-me que eu tirá-la - ei.

    Um abraço

    viviana

    ResponderEliminar
  5. omfg vosses sao cools foi ontem la e case morri entrei nessa salinha e tava armadilhada acho que ra o tumulo O.o eu la vi um corpo sem cabeça eu dei um ai porque levei um macada e me levantei e disse 7 vezes ai e um vento me atiro ao chao e apareceu o cavaleiro e a moura :S tive de a trancar ppois tinham espadas e pareciam solidas

    ResponderEliminar
  6. Alguém conhece a historia do fantasma do quarto 18, do Hotel Tivoli? Não? Então vão ter com os empregados mais velhos e perguntem-lhes. Segundo dizem o conde que ali viveu, morreu onde é hoje o quarto 18....vão lá perguntem e se não acreditam vejam o que está escrito no 'book' do hotel. Bom dá para rir, mas o que é certo é que todos já se habituaram a coisas estranhas mas inofensivas que acontecem no hotel.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!

      eu conheço a lenda e sim, é verdadeira.
      aventurei-me a passar lá uma noite e foi muito muito estranho

      Eliminar

Caríssimos,

sintam-se à vontade para expressarem aqui o que agora estão a pensar.